Guajará-Mirim,

Crédito para pescadores terá impacto direto na pobreza, diz Caixa
Facilidade e juros baixos serão “revolução no setor”, disse presidente.

Por Redação
Publicado 13/01/2022
A A

O presidente da Caixa, Pedro Guimarães, afirmou hoje (12), em entrevista ao programa A Voz do Brasil, que acredita que as linhas de crédito liberadas para pesquenos pescadores terão impacto significativo na redução da pobreza em áreas litorâneas e em bacias hídrográficas em todo o Brasil.

“Temos mais de R$ 20 bilhões em linhas para oferecer. Estimamos um milhão de pescadores [no Brasil], em especial os mais carentes”, declarou Guimarães, que comparou o Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) ao programa Casa Verde e Amarela, que viabiliza a aquisição de habitações populares a juros reduzidos.

Pedro Guimarães informou que as linhas de crédito serão disponibilizadas em duas modalidades diferentes, sendo uma de curto prazo - chamada de custeio -, e uma a longo prazo, chamada modalidade de investimento. As taxas ofertadas pelo banco começam em 3% de juros ao ano - menor índice entre todas as modalidades de empréstimo -, e até R$ 250 mil.

“Vamos revolucionar o setor. O Brasil, um dos maiores produtores agrícolas do mundo, importa peixes. O que pode acontecer? Uma revolução”, disse Guimarães sobre o impacto da abertura de crédito para pequenos pescadores.

O presidente do banco também falou sobre os impactos ambientais que o programa deve trazer, já que permitirá maior rentabilidade de atividades menos invasivas ao meio ambiente. “Muitas vezes, as pessoas acabam queimando madeira para fazer lenha, o que rende R$ 0,20 para o saco de 10 quilos. Se ela participar da criação de peixes, vai ganhar 20 vezes mais. E com isso estará [em uma situação] de preservação da natureza”, complementou.

Abono salarial
Durante a entrevista, Pedro Guimarães também falou sobre o abono salarial de 2022, que será pago ao longo de dois meses ao invés do período tradicional de um ano. Segundo a Caixa, cerca de 22 milhões de trabalhadores receberão R$ 20 bilhões que deverão ser injetados diretamente na economia.

“Acreditamos que praticamente 100% desses R$ 20 bilhões serão injetados no consumo, na economia de uma maneira rápida”, informou Pedro Guimarães.

Beneficiários poderão movimentar os fundos do abono salarial pelo aplicativo Caixa Tem ou diretamente nas agências.

Saque emergencial do FGTS
O presidente da Caixa estimou que cerca de 150 mil pessoas terão acesso ao saque calamidade do FGTS em razão das chuvas e enchentes que assolam a Região Nordeste do Brasil. 

Fique ligado!

Quer receber nossas notificações?